Segundo Pedro Gonçalves, a lista vencedora, que tem como lema "Fazer a diferença à esquerda em Odemira”, pretende “dar continuidade ao trabalho desenvolvido anteriormente e lutar pelas transformações necessárias para melhorar as condições de vida da população do concelho de Odemira".

"Vamos esbater as diferenças entre o interior e o litoral, promovendo uma verdadeira política descentralizadora em todo o concelho, quer a nível socioeconómico, como ao nível da saúde e ambiente", explicou Pedro Gonçalves.

A nova Comissão Coordenadora do BE em Odemira pretende também ser "um exemplo na luta pela água, um bem de todos, e no desenvolvimento económico equilibrado do território, tendo em conta os impactes ambientais, sociais e económicos, nomeadamente, impedindo a expansão de mais agricultura intensiva no parque natural, grande depredadora de recursos finitos e destruidora de habitats únicos de biodiversidade protegida".

Nas eleições Autárquicas 2021, o Bloco de Esquerda de Odemira assume como objetivo "eleger um vereador" e ter mais "eleitos e eleitas na Assembleia Municipal" e "recuperar nas freguesias onde já teve eleitos".

Os bloquistas anunciam também que vão "apostar forte" nas freguesias de Relíquias e de São Luís, onde o BE "vai apresentar candidaturas pela primeira vez".