Para o Município de Grândola, a abertura ao público deste novo espaço museológico, no próximo sábado, dia 10 de Abril às 09h30, reveste-se de enorme importância e vem consolidar a política municipal de valorização e preservação do património histórico e arqueológico, refletindo o intenso trabalho que tem sido desenvolvido nos últimos anos visando a salvaguarda do património e da memória coletiva.

A partir de agora, o novo espaço que tem acessibilidade universal, e que dá a conhecer o património histórico e arqueológico do Concelho pode ser visitado de segunda a sábado das 09h30 às 13h00 e das 14h00 às 17h00, encerrando aos domingos e feriados.

As visitas, gratuitas, são efetuadas por marcação antecipada através do número 269 450 129, e limitadas a 10 pessoas em simultâneo, de acordo com as normas de higiene e segurança recomendadas pela DGS.

O Núcleo Museológico de São Pedro pretende ser um local de investigação e divulgação da memória coletiva e de salvaguarda do património histórico e arqueológico do Concelho de Grândola. Instalado no Centro Tradicional da Vila, este espaço museológico surgiu da reabilitação da antiga Igreja de São Pedro, edifício dos finais do século XVI, e da antiga Central Elétrica, permitindo acolher exposições de longa duração e temporárias, assim como as reservas museológicas do Município que passarão, deste modo, a deter as condições de acondicionamento adequadas às suas diferentes tipologias.

No seu interior, o visitante é convidado a empreender uma viagem sem precedentes ao longo dos diferentes períodos históricos, por vestígios materiais deixados por comunidades de antanho, desde os antigos caçadores recolectores até aos tempos do Llugar da Gramdolla. Memória dessas épocas remotas, este núcleo museológico revela um território de Grândola repleto de monumentos megalíticos, necrópoles de cistas, minas, fábricas de salga, templos, ruínas e naufrágios, que a investigação histórica e arqueológica se encarregou de desvendar.

Com um total de 200 m2, a área expositiva ocupa a antiga nave e o altar-mor e duas salas laterais dedicadas à exposição de longa duração, retratando lugares e exibindo artefactos datados desde o Paleolítico ao século XX, e uma outra sala lateral dedicada a exposições temporárias, onde ficarão patentes, numa primeira fase, fotografias da coleção Martins & Máximo. O espaço alberga ainda um pequeno auditório para a projeção de um filme alusivo à história do Concelho de Grândola.


Comente esta notícia


SINES