Esta situação afecta a apresentação de três companhias de teatro agendadas para os meses de Julho e de Agosto nas três cidades vizinhas – Santiago do Cacém, Vila Nova de Santo André e Sines - e em várias pequenas localidades dos dois concelhos.

As apresentações de ‘Sorriso’, pelo Teatro Só, que já fora adiado pelo mesmo motivo, ‘Sou Eu’, pela ESTE – Estação Teatral, e o espectáculo ‘Mutabilia’, pelo Teatro do Mar, num total de dezassete representações, estão assim adiadas para novas datas a anunciar.

O director do evento, Mário Primo, “tem dificuldade em compreender esta decisão, tendo em conta tratar-se de espectáculos ao ar livre preparados com todas as medidas de segurança e, embora de acesso livre, com limitação de público, obrigatoriedade de uso de máscara e controlo de entradas”.

O Teatro feito nestas condições não pode confundir-se de modo nenhum com “grandes eventos” como as feiras ou os festivais de verão.

A Cultura tem sido um dos sectores mais afectados pelas medidas de contenção relativamente à pandemia.

Mário Primo considera que “O LITORAL EmCena tem dado o seu contributo para retomar aos poucos a dinâmica que caracteriza esta região para bem do público e dos profissionais que resistem com muitas dificuldades há largos meses.

Temos cumprido escrupulosamente todas as determinações da DGS nomeadamente com redução das lotações dos auditórios, com a desinfecção das salas antes e após cada sessão, com a testagem das equipas técnicas e artísticas, com desinfecção das mãos à entrada, com obrigatoriedade de uso de máscara e distanciamento entre cadeiras na plateia e com percursos separados de entrada e saída dos espectadores”.

“Estamos, como é óbvio, preocupados com a situação pandémica e com o elevado número de pessoas infectadas, mas convictos que, desta maneira, a actividade não constitui um factor de risco para o aumento da contaminação.

Continuamos a defender que a cultura é segura e que ir ao teatro é uma necessidade ainda maior nos tempos que correm” concluiu Mário Primo.