Os militares colaboraram, com a Administração Regional de Saúde do Alentejo, nos Centros de Vacinação de Beja, Évora, Portalegre e Santiago do Cacém, na preparação, administração e registo das vacinas, bem como apoio na zona de recobro, pós vacinação.

A equipa de militares foi composta por um médico e quatro enfermeiros da Marinha, um médico e quatro enfermeiros do Exército e dois enfermeiros da Força Aérea.

Esta ação, que permitiu acelerar o processo de vacinação na região do Alentejo, resultou de um pedido da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil ao Estado-Maior-General das Forças Armadas.