Em declarações à agência Lusa, o presidente da ARS do Alentejo, José Robalo, indicou que têm surgido casos de covid-19 em Odemira e que “muitos deles estão ligados a migrantes” que trabalham no setor hortofrutícola no concelho, pelo que vai ser feita “uma testagem” em massa.

A realização dos testes arrancou esta manhã e decorre nas empresas através de uma unidade móvel, disse, esperando que “um posto de testagem” fixo também possa vir a entrar em funcionamento na vila de Odemira.

“Há uma grande rotação de trabalhadores” nesta altura do ano, por causa das colheitas, “e vai haver necessidade, não só para a população local, mas também para trabalhadores que cheguem de novo, de se proceder à testagem para se conseguir fazer o isolamento numa fase precoce”, notou.

As autoridades decidiram fazer uma testagem a trabalhadores das empresas deste setor agrícola, que empregam muitos migrantes, para “perceber qual é a situação em termos de infeção” pelo novo coronavírus SARS-CoV-2, que provoca a doença covid-19, referiu o responsável.

Ao longo da semana, vão ser efetuados “à volta de quatro mil testes” nestas empresas hortofrutícolas, “de forma a perceber se, no domicílio” de cada trabalhador, “existem outras pessoas” com o coronavírus, destacou.

A realização dos testes, sublinhou, visa “perceber, em termos epidemiológicos, qual é a base de infeção junto da população migrante” e, mais tarde, também da “população residente” no concelho.

“Esta semana, são quatro mil testes”, mas a operação vai “prosseguir em função daquilo que for a leitura feita pela Saúde Pública”, notou.

Segundo o boletim epidemiológico de hoje da Direção-Geral de Saúde, Odemira integra o grupo dos 26 concelhos do país que estão acima do limiar de risco de incidência da covid-19, registando um acumulado, nos últimos 14 dias, de mais de 316 casos por cada 100 mil habitantes.

O presidente da ARS do Alentejo realçou que a taxa de incidência do concelho de Odemira “é uma coisa que chama atenção”, mas vincou que esta testagem também está relacionada com a identificação de casos de covid-19 entre os migrantes.

A operação de testagem conta com a colaboração e apoio das empresas, das associações do setor agrícola, da Proteção Civil Municipal, das associações de apoio aos migrantes e do Alto Comissariado para as migrações.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.853.908 mortos no mundo, resultantes de mais de 131,2 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 16.885 pessoas dos 823.494 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.


Comente esta notícia


SINES