"Até agora, contabilizando com os casos positivos de jovens dos distritos de Lisboa e Setúbal, temos 26 casos", referiu a responsável, indicando que entre as pessoas infetadas, na sequência do surto da Galé, estão cinco de Grândola.

Durante o dia de hoje, a autoridade de saúde realizou "um rastreio massivo no interior do parque de campismo da Galé, num total de 328 testes a funcionários e utentes, e vamos aguardar os resultados, o que significa que continuam todos em isolamento profilático", adiantou.

Entre os casos "há pessoas jovens e menos jovens, alguns familiares dos positivos, mas com uma sintomatologia ligeira, o que não cria grandes cuidados", relatou a responsável da autoridade de saúde pública do litoral alentejano, que vai avaliar "caso a caso" a saída dos utentes do parque de campismo, encerrado devido ao surto.

"Em conjunto com o delegado de Saúde de Grândola, vamos avaliar e definir, em função dos testes, como fazer caso a caso. É importante perceber que apesar da maioria serem jovens, contactam com pessoas mais velhas e essas sim, são muito preocupantes", alertou.

Os utilizadores que se mantém no parque de campismo "estão calmos e tranquilos e percebem que é importante fazer este rastreio para ter uma fotografia do que está a acontecer e qual a situação epidemiológica do parque de campismo da Galé", sublinhou.

Devido ao aumento de casos de covid-19 no concelho de Grândola, o município decidiu voltar a encerrar equipamentos e espaços públicos, como o parque desportivo municipal, parque infantil, zona desportiva e parque de merendas do Jardim 1.º de Maio.

O surto de covid-19 teve origem numa festa de um grupo de jovens, entre os 15 e os 20 anos, residentes nos distritos de Lisboa e Setúbal.

O grupo de jovens e alguns pais, oriundos dos distritos de Lisboa e Setúbal, ocuparam equipamentos permanentes e terão decidido "reunir-se, sem autorização e sem nos consultarem, numa das casas", segundo relatou à Lusa Catarina Gomes, proprietária do parque de campismo, indicando que o caso ocorreu entre os dias 10 e 14 deste mês.

"Essas pessoas são proprietárias de casas pré-fabricadas ou de 'roulottes', com espaço permanente no parque. São jovens que frequentam a mesma escola, em Setúbal, e lidam entre eles diariamente. Com certeza alguns já vieram infetados e quando se reuniram com outras pessoas deu-se a proliferação", frisou.

O grupo de pessoas, que a proprietária não soube contabilizar, "esteve reunido, durante uma tarde, numa das casas, no aniversário de uma das jovens".

Portugal contabiliza pelo menos 1.555 mortos associados à covid-19 em 40.866 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).


Comente esta notícia


SINES