Nuno Mascarenhas que falava durante a apresentação do Plano Estratégico do Porto de Sines, considera que “há seguramente mais de duas décadas que se discutem as acessibilidades ao maior porto nacional. Foi muito positivo o lançamento do concurso para a empreitada de modernização da linha férrea de Sines até Ermidas, assim como todo o investimento que está a ser realizado na ferrovia. São, igualmente importantes os investimentos que a APS fez no ramal interno e na ligação à ZILS e que a Medway tenha já em funcionamento a sua plataforma logística em Sines”.

No domínio dos transportes, reforço a necessidade de solucionarmos a questão da rodovia. O que está hoje em causa é a elevada circulação de pesados entre Sines e a A2, mais de 320 mil viagens anuais, com uma percentagem elevada de transporte de matérias perigosas. As condições em que esta circulação se opera atualmente levantam muitas preocupações ao nível da segurança rodoviária. É desejável que este troço, com pouco mais de 35 Km, em perfil de autoestrada, possa vir a ser concretizado no curto prazo, permitindo desta forma ligar o maior porto nacional aos principais centros de consumo do país e aos restantes portos nacionais através deste perfil de via. Seria um sinal muito positivo para os investimentos que se perspetivam para este território” concluiu o autarca.


Comente esta notícia


SINES